Panamá volta exigir vacina contra a febre amarela

Aviso sobre a febre amarela

Com o surto da doença no Brasil, a vacina contra febre amarela para viagem ao Panamá voltar a ser exigida.

Viajantes procedentes do Brasil terão que apresentar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) com registro da dose contra a febre amarela, aplicada pelo menos dez dias antes da viagem, para entrar no Panamá. Na semana passada, o governo da Nicarágua também anunciou que passará a exigir a apresentação do certificado.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não será exigido o CIVP para casos de conexão e escala no Panamá – quando o viajante permanecer no aeroporto. A Nicarágua, entretanto, não informou se vai cobrar o certificado em escalas e conexões.

Veja o texto do governo do Panamá na integra:

textoIntegra

 

 

Segue nossa tradução:

Vigilância intensificada por surto de febre amarela no Brasil

O ministério da saúdo do Brasil notificou da existência de um surto de febre amarela nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia e São Paulo com 421 casos em investigação, incluídos 87 falecimentos. Por causa disso, a Organização Mundial da Saúde, fez uma recomendação para os Estado Membro para fortalecer o controle de vacinação de passageiros provenientes do Brasil com a finalidade de minimizar o risco da introdução da doença no país.

Por tudo mencionado anteriormente e de acordo com a Resolução 837 de 11 de julho de 2016 informamos:

  1. A partir de segunda feira, seis de fevereiro, a todos os viajantes provenientes do Brasil será solicitada carteira de vacinação com imunidade a febre amarela com a vacina tomada com pelo menos 10 dias antes de ingressar ao país.
  2. Todo panamenho ou residente do país que deseje viajar ao Brasil deve tomar a vacina contra a febre amarela com pelo menos 10 dias antes de iniciar sua viagem.

 

Para que não tenha problemas com sua viagem, chequem as exigências antes de viajar.